ACESSE AQUI INFORMAÇÕES SOBRE O MEU TRABALHO E SESSÕES DE ATENDIMENTO TERAPÊUTICO

Reflexão e Consciência para praticar o Desapego












"Se você tem um pássaro deixe-o voar,
se ele voltar é porque é seu,
se não voltar é porque nunca foi."

Antoine de Saint Exupéry



"Sou apego pelo que vale a pena 
e desapego pelo que não quer valer."

Clarice Lispector



"Afinal, se coisas boas se vão 
é para que coisas melhores possam vir. 
Esqueça o passado, desapego é o segredo."

Fernando Pessoa



"Se gostamos de alguma coisa, 
se a queremos e não podemos tê-la, 
nós sofremos. 
Se a queremos, 
a obtemos e depois a perdemos, 
nós sofremos. 
Se não a queremos, 
mas não conseguimos mantê-las afastadas, 
novamente sofremos."

Chagdud Tulku Rinpoche








*********************************************

REFLEXÃO E CONSCIÊNCIA
PARA PRATICAR O DESAPEGO





O que é o apego?

O apego é aquela ligação ou vínculo emocional
que fazemos com pessoas, 
com objetos, 
com ideias
e até com sentimentos.



Possuir objetos, 
ter vínculo com pessoas,
ter uma ideia fixa a respeito de algo ou alguém,
não observar com clareza os próprios sentimentos
 não é o problema...


O problema é quando colocamos
nos objetos, nas pessoas e nas ideias 
a responsabilidade pela nossa felicidade.



Estamos acostumados a colocar nossa felicidade
em bases externas e instáveis e, por isso, sofremos.



Esta é uma das maiores ilusões 
que o ego nos proporciona,
nos fazer acreditar que nossa única 
chance de felicidade
se encontra:

* em uma pessoa,

* em um objeto,

* em uma ideia,

* ou até mesmo em um sentimento.




 E essa dependência passa a ser,
então, 
fonte de grande sofrimento e ansiedade.


Solte!


Solte o velho, para deixar vir o novo em sua vida.



A base para a felicidade é interna e estável
e você pode acessar em seu interior,
construir, reconstruir ou reinventar,
só depende de você.


Todos nós vivenciamos a dependência dos pais
para garantir nosso conforto 
no início de nossa vida. 

A memória que temos de alimento, calor e aconchego, 
teve uma fonte exterior a nós.

E o sentimento de alegria, 
prazer e preenchimento 
que sentimos nestes momentos, 
acabou por ficar fortemente associado 
a esta fonte externa.


Então,
não é de se admirar 
que passemos então a esperar 
que uma pessoa,
que um objeto
ou que uma ideia
ou um sentimento,
mesmo que ruim e desconfortável,
mas que estamos acostumados
- como medo, sofrimento, dependência, culpa - 
preencham 
as nossas carências e necessidades afetivas.


Solte! Desapegue!


Uma parceria harmoniosa
torna a existência muito mais leve,
e nos ajuda a encarar a vida diária
com outra disposição,
entretanto,
não faz desaparecer milagrosamente
os desafios pelos quais temos que passar
para o nosso crescimento e evolução pessoal,
porque esse processo é individual e
você terá que passar por si mesmo(a).

E enfrentá-los com equilíbrio e serenidade 
depende fundamentalmente 
de nossa força interior.


A nossa força e equilíbrio interior
é que nos dão suporte 
para mantermos intacta 
a nossa capacidade de sentir prazer 
e usufruir a vida, 
estejamos sozinhos ou em um relacionamento,
tenhamos ou não aquele objeto do desejo,
nos apeguemos ou não a uma ideia ou
nos apeguemos a um sentimento.




Essa reflexão, através da Consciência,
nos auxilia na compreensão de
nos mantermos em harmonia com nossa Essência, 
mais serenos e em equilíbrio com nosso Eu,
entendendo que:

* cada pessoa que está 
ou passa pela nossa vida nos traz um aprendizado,

* acumular objetos 
é uma fonte de satisfação momentânea,

* nos apegarmos a uma ideia fixa
não nos abre outras alternativas,

* ficarmos ligados em acontecimentos 
ou fatos do passado nos impede de buscarmos algo novo,

* ligações perigosas com sentimentos 
mal trabalhados em nós como:
medo,
sofrimento,
dependência ou
culpa
nos coloca em um ciclo vicioso,
e nos impossibilita alterar a polaridade para:
coragem,
leveza ou
entendimento.




Reflita sobre isso:

* doe o que não é mais útil para você,

* jogue no lixo o que não serve mais para você 
e nem para outra pessoa,

* recicle o que tem potencial,

* renove o que você tem com criatividade,

* reorganize sua casa e seu escritório,

* reflita, reorganize e renove as suas ideias,


* reflita sobre hábitos, costumes e vícios:

de sofrer, de brigar, de discutir, de xingar, etc.,

* reflita sobre a maneira com que você trata as pessoas,

sobre a forma que você consome, mantém e acumula objetos,
sobre ideias antigas e inúteis que ainda povoam a sua mente,
sobre sentimentos antigos que já não fazem mais sentido,

* reflita, reorganize e renove:

seus pensamentos,
e, sobretudo,
os seus sentimentos,

* renove a sua vida!




Solte... Desapegue...


Solte! Desapegue!





Quando você fica muito grudado(a)
em um pensamento, uma ideia,
um objeto, uma pessoa,
um sentimento, uma história, etc.
você fica sustentando energeticamente isso
e, consequentemente,
não dá espaço para o novo entrar na sua vida.


Limpe não só as gavetas da cômoda,
a mesa do escritório, 
os arquivos do computador,
mas também,
as suas gavetas emocionais, mentais e espirituais,
com Consciência.


Praticar o desapego é no dia-a-dia!


Boas reflexões e depois mãos à obra!



Por Sandrah Belleza Novelli




Acesse também:



Reflexão e Consciência de
nossa Luz e de nossa Sombra












Reflexão e Consciência
para curar Traumas de Infância












Reflexão e Consciência para equilibrar Luz e Sombra
nos Desafios e Oportunidades da Vida













Reflexão e Consciência para compreender
Imaginação e Realidade no Cérebro












Reflexão e Consciência para curar Depressão












Meditação para acessar
o Templo Interior













Reflexão e Consciência para
transformar a Inveja












Meditação para compreender 
a Impermanência












Meditação para viver e apreciar 
o Momento Presente












Meditação para seguir o
Fluxo Natural da Vida












Meditação para se libertar
de querer Controlar















TERAPEUTA DE FREQUÊNCIA VIBRACIONAL






 +55 (11) 964-311-500 Tim / WhatsApp 



 Estou à disposição para atender você! 

 Aguardo o seu contato. 

 Com carinho,
Sandrah