ACESSE AQUI INFORMAÇÕES SOBRE O MEU TRABALHO E SESSÕES DE ATENDIMENTO TERAPÊUTICO

Mostrando postagens com marcador Música e Sons da Natureza. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Música e Sons da Natureza. Mostrar todas as postagens

Meditação para visualização com Mandala







"A mandala é considerada uma
representação do ser humano:
o ser integral com o corpo físico e os corpos sutis.
Simbolicamente é a busca
pela unidade total do Eu."






****************************************

MEDITAÇÃO PARA VISUALIZAÇÃO
COM MANDALA




O que é uma mandala?


Mandala é uma imagem ou um desenho circular.


A palavra mandala vem do sânscrito e
significa 'círculo mágico'.


Os povos orientais usam as mandalas há milênios
como forma de expressar a experiência humana
de contato com a energia Divina da Criação.


Nos desenhos das mandalas,
que são na forma geométrica circular,
e o círculo não tem começo nem fim,
porque o fim já é o próprio começo,
estão expressas as relações entre o homem e o cosmos,
e entre a busca de equilíbrio,
entre as conquistas físicas/materiais
e a energia espiritual/multidimensional que envolve tudo.

As mandalas são, portanto,
um caminho de auto conhecimento
para a compreensão de nós humanos e
dos universos interno e externo. 


A mandala representa o ritmo,
o movimento, e
a harmonia que regem todo o Universo,
a natureza e o próprio ser humano.


Ao observar uma mandala você percebe que
existe um centro (um eixo) de onde tudo nasceu,
de onde tudo se sustenta e se movimenta à partir daí.


A mandala é a reprodução para os hindus
da mente humana quando equilibrada,
portanto, meditar corretamente,
olhando para o centro de uma mandala,
pode auxiliar a reordenar
os processos emocionais, mentais, físicos e espirituais.


É um chamado,
através da consciência do si em equilíbrio
com a consciência cósmica,
que em paz tem maior probabilidade de
acessar soluções para conflitos e problemas,
nos mostrando,
de uma forma simples, a volta para o centro,
o centramento, a harmonia, o equilíbrio.



Então...


Como meditar com mandalas?




Você tem duas opções que são:

1 * escolher uma mandala que lhe agrade ou

2 * desenhar, pintar ou colar a sua própria mandala.




Você prefere fazer a sua mandala?


Fazer a mandala é muito simples:

Faça um círculo, que pode ser à mão livre,
com um compasso, com um prato ou pires
e depois deixe a sua intuição e inspiração
se ocupar de desenhos internos e cores,
e só pelo desenho, se ele está simétrico ou não,
se as cores são de tons mais claros ou escuros,
as formas geométricas que escolher usar e
o que a sua criatividade trouxer
como desenho, colagem, elementos vazados, etc.
já dão alguns sinais e indícios do que você está
trabalhando internamente com a sua mandala.



Você pode escolher o tema:

* criatividade,

* equilíbrio,

* paz interior,

* foco e determinação,

* saúde,

* prosperidade,

* alegria,

* motivação,

* serenidade,

* abundância,

* amor.



Vamos continuar...


Para essa meditação, com visualização de mandala,
procure sentar numa posição confortável com a coluna ereta
e colocando a mandala diante você
pendurada na parede ou apoiada em algum objeto,
sendo que o centro da mandala
deverá estar alinhado à altura dos seus olhos,
numa distância semelhante à extensão de seu braço.


Coloque o foco da sua atenção no centro da mandala,
sem forçar os olhos, piscando suavemente quando necessário,
e sem esforçar qualquer parte do seu corpo.



Respire...


Pouco a pouco, com o auxílio da respiração
procure esvaziar a mente,
como se entrasse na mandala e dançasse ou voasse com ela,
deixando a mandala agir em você,
através do movimento e do ritmo
que lhe é inerente e,
se quiser,
é interessante utilizar uma música para esse exercício.


Respire...


Se solte e se deixe levar pelo movimento da mandala.
Entre na mandala.
Passeie pela sua mandala e através dessa mandala,
sem controlar seus movimentos internos.
Dance com o fluxo.


Você poderá experimentar diversas sensações:
desde olhos pesados, lacrimejar, bocejar...

E, com o passar do tempo de visualização da mandala,
a sensação pode ser de leveza do Ser,
de uma alegria imensa e de uma paz profunda.

Permita que isso aconteça.

Se entregue para o exercício.



A mandala pode executar várias funções e
a sua percepção irá lhe comunicar
qual é o seu trabalho interno principal
neste momento,
porque em uma segunda ou terceira vez
poderá ser diferente.

Observe com consciência.


Respire...


Não se critique,
não se julgue,
não deixe a sua mente interferir no processo,
apenas observe o que está acontecendo dentro e fora de você.

Simples assim.



Com a experiência você percebe que
assim que a sua mente se aquieta,
você gasta menos energia com o pensamento e,
como não existe vácuo no universo,
outra função assume essa energia.

É uma linda experiência.


Você pode deixar fluir a intuição,
o autoconhecimento,
a clarividência e a clariaudiência.


É muito interessante esse exercício com a mandala
porque pode começar a emergir
potenciais submersos do seu Ser.


Mergulhe ou dance na mandala por quanto tempo
for satisfatório para você,
observe que é no seu ritmo e no seu movimento.


A mandala é considerada uma

representação do Ser humano:

O ser integral com o corpo físico e os corpos sutis.

Simbolicamente,
a mandala é a busca
pela unidade total do Eu.



Após o exercício passe uns minutinhos observando
o que está acontecendo internamente com você
em silêncio, de olhos fechados e coluna ereta.



Boa viagem ao auto conhecimento,
consciência e auto transformação.


Paz!


Por Sandrah Belleza Novelli




Acesse também:



Meditação para estar em contato
com a sua Intuição e Inspiração










Meditação para conexão
com seu potencial de Criatividade










Meditação para usufruir dos
Benefícios de Cura da Música










Meditação para acessar a
Sabedoria Inata do Corpo










Meditação para a Respiração Consciente










Meditação para aliviar Dor










Meditação para relaxar o Corpo e a Mente










Meditação para distinguir 
e aliviar a Angústia










Meditação para estar em conexão 
com a nossa Essência










Meditação para entrar em contato
com a Felicidade Interior










Meditação para conexão
com o Silêncio Interno













TERAPEUTA DE FREQUÊNCIA VIBRACIONAL






 +55 (11) 964-311-500 Tim / WhatsApp 



 Estou à disposição para atender você! 

 Aguardo o seu contato. 

 Com carinho,
Sandrah




Meditação para curar com a Música













"A música exprime a mais alta filosofia 
numa linguagem que a razão não compreende."

Arthur Schopenhauer



"A música é celeste, de natureza divina e 
de tal beleza que encanta e eleva a alma."

Aristóteles





****************************************************

MEDITAÇÃO PARA CURAR COM A MÚSICA




Estudos científicos já comprovaram a cura
através dos efeitos biológicos 
de ondas sonoras audíveis
no corpo humano,
tanto no aspecto físico
quanto no aspecto emocional, mental
e até espiritual.



As células do corpo humano
se beneficiam com a música
por via do ritmo, do timbre, da intensidade
e, consequentemente, das frequências vibracionais.



É possível que haja uma diferença 
entre ouvir música com som ambiente ou fone de ouvido.

Você pode experimentar qual é
a maneira que lhe traz mais benefícios.



Qual é a música que você mais gosta?


Ou você pode estar em contato com
a natureza e se beneficiar
desta maravilhosa música natural,
com sons de pássaros,
cachoeiras, riachos, ondas do mar,
do vento balançando os galhos de árvores,
da chuva caindo no telhado ou molhando a terra,
e ainda, sentir o cheiro de terra molhada...



Que tal escutar essa música, e
através da respiração consciente 
descobrir o espaço interior,
criando lacunas ou
espaços no fluxo de pensamentos? 


Essas lacunas ou espaços permitem que os pensamentos 
não se tornem repetitivos ou desprovidos de inspiração. 


 Esses espaços não precisam ser longos, 
alguns segundos já são suficientes, 
e o mais importante é a frequência diária,
e a música auxilia nessa conexão. 



 Tomar consciência da respiração 
faz com que a atenção se afaste do pensamento 
e isso produz um espaço. 

É uma maneira de gerar consciência! 

Tome consciência da sua respiração! 



Observe a sensação do ato de respirar. 

Sinta o movimento de entrada e saída do ar 
ocorrendo em seu corpo. 

Veja como o peito e o abdome se expandem 
e se contraem ligeiramente 
quando você inspira e expira. 



 Basta uma respiração consciente 
para produzir esse espaço ou lacuna, 
onde antes havia tão somente 
uma sucessão de ininterruptos pensamentos. 


 Uma respiração consciente 
(duas ou três seria ainda melhor) 
feita muitas vezes ao dia 
é uma maneira excelente 
de criar espaços em sua vida. 


 Mesmo que você medite sobre sua respiração 
por duas horas ou mais, 
o que é uma prática adotada por algumas pessoas, 
uma respiração basta para deixá-lo consciente. 



A respiração acontece por si mesma. 

Ela é produzida pela inteligência inerente ao corpo. 

Portanto, basta observá-la. 

Essa atividade não envolve nem tensão nem esforço. 



Além disso, note a breve suspensão do fôlego 
- sobretudo no ponto de parada no fim da expiração - 
antes de começar a inspirar de novo. 


 Muitas pessoas têm a respiração curta, 
o que não é natural. 

Quanto mais tomamos consciência da respiração, 
mais sua profundidade se estabelece sozinha. 


 Ao tomarmos consciência da respiração, 
nos vemos forçados 
a nos concentrar no momento presente, 
no aqui e agora! 


O resto são lembranças do passado
ou expectativas para com o futuro, 
ou seja, pensamentos: a mente no comando.


 Percebemos, 
imediatamente, 
após alguns segundos de prática,
que não conseguimos pensar
e nos manter conscientes da respiração ao mesmo tempo. 

E esse é o segredo de toda a transformação interior. 

Então, nos tornarmos conscientes da respiração 
é estarmos absolutamente no presente, 
pois a nossa atividade mental é suspensa.

O nosso ego cede espaço para
a manifestação do nosso Eu Interior. 


 A palavra alemã para respiração 
- atmen - 
tem origem no termo sânscrito atman, 
que significa o espírito divino que nos habita, 
ou o Deus interior. 



Então, vamos meditar?



Sente-se confortavelmente em uma poltrona.

Coloque o foco da sua atenção na respiração
(dessa maneira o Ego cede espaço para
a manifestação do seu Eu Interior).

Feche gentilmente os olhos.

Se quiser poderá escutar uma música.

Sinta o ar entrar e sair dos pulmões.



Respire... E deixe ir todos os pensamentos...

Aos poucos vá se acalmando...

E entrando em contato com a quietude interior.

Entrando em contato com o seu centro de paz...




Respire...

Se vierem pensamentos, questionamentos...

Não brigue com eles... Só deixe ir...



E cada vez mais entre em contato,
através da respiração,
com o seu centro de paz interior,
e em perfeita e harmoniosa conexão
com a música que você mais aprecia.



Fácil?

Não, não é.

Mas, com a prática da meditação,
dia a dia, vamos melhorando cada vez mais.




Nota:

Os instrumentos musicais e seus efeitos:

* Piano - para a depressão e a melancolia.

* Violino - para a sensação de insegurança.

* Flauta Doce - para nervosismo e ansiedade.

* Violoncelo - incentiva a introspecção e a sobriedade.

* Instrumentos de Sopro ( em geral ) - inspiram coragem e impulsividade.




Sugestão para a depressão e o medo:

* Sonho de Amor, de Liszt.

* Serenata, de Schubert.

* Guilherme Tell (Abertura), de Rossini.

* Noturno Opus 48, de Chopin.

* Chacona, de Bach.




Sugestão para insônia, tensão e nervosismo:

* Canção da Primavera, de Mendelssohn.

* Sonata ao Luar, de Beethoven (Primeiro Movimento).

* Valsa nº15 em Lá Bemol, de Brahmms.

* Sonho de Amor, de Liszt.

* Movimentos Musicais nº3, de Schubert.




Sugestão para a gravidez e para facilitar o parto:

* Concerto para violino, Opus 87B, de Sibelius.

* Sonata Opus 56, de Haydn.

* As Quatro Estações, de Vivaldi.

* Concerto Tríplice, de Beethoven.

* Concerto para violino, de Brahmms.

* Concerto para violino, de Tchaikovsky.




Sugestão para estimular a memória:

* Concerto em Dó Maior para bandolim, 
corda e clavicórdia, de Vivaldi.

* Largo do Concerto em Dó maior para Clavicórdia, 
BMW 976, de Bach.

* Spectrum Suíte, Confort Zone e Starbone Suíte, 
de Stephen Halpern.




Sugestão para favorecer a interiorização e a meditação:

* Concerto nº2 para Piano, 
de Rachmaninov (último movimento).

* Concerto em Lá menor para piano, 
de Grieg (primeiro movimento).

* Concerto nº1 para piano, 
de Tchaikovsky (primeiro movimento).





Depois de ouvir as peças indicadas, 
escolha a que deu melhores resultados para você,
e então, escute-a diariamente:

* antes de dormir, ou

* antes e durante a meditação, ou

* no período do dia mais conveniente
e harmonioso para você,

pelo período de tempo que
proporcione bem-estar e equilíbrio,

- o que varia de pessoa para pessoa -

de poucos minutos até horas.

No início, os efeitos são leves.
É preciso um pouco de paciência 
e persistência para notar progressos.



Boa música!


Musicoterapia para a alma!


Boa meditação e cura através da música!



Por Sandrah Belleza Novelli




Acesse também:



Meditação para curar Depressão











Meditação para acessar a
Sabedoria Inata do Corpo















TERAPEUTA DE FREQUÊNCIA VIBRACIONAL






 +55 (11) 964-311-500 Tim / WhatsApp 



 Estou à disposição para atender você! 

 Aguardo o seu contato. 

 Com carinho,
Sandrah




Meditação para usufruir dos Benefícios de Cura da Música










"A música exprime a mais alta filosofia 
numa linguagem que a razão não compreende."

Arthur Schopenhauer



"A música é celeste, de natureza divina e 
de tal beleza que encanta e eleva a alma."

Aristóteles




****************************************************

MEDITAÇÃO PARA USUFRUIR 
DOS BENEFÍCIOS DE CURA DA MÚSICA




Estudos já comprovaram a cura
através dos efeitos biológicos 
de ondas sonoras audíveis
no corpo humano,
tanto no aspecto físico
quanto no aspecto emocional, mental
e até espiritual.


As células do corpo humano
se beneficiam com a música
por via do ritmo, do timbre, da intensidade
e das frequências vibracionais.


É possível que haja uma diferença 
entre ouvir música com som ambiente ou fone de ouvido.



Qual é a música que você mais gosta?


Ou você pode estar em contato com
a natureza e se beneficiar
desta maravilhosa música natural,
com sons de pássaros,
cachoeiras, riachos, ondas do mar,
do vento balançando os galhos de árvores,
da chuva caindo no telhado ou molhando a terra,
e ainda sentir o cheiro de terra molhada...


Que tal escutar essa música e
através da respiração consciente 
descobrir o espaço interior 
criando lacunas ou 
espaços no fluxo de pensamentos? 


Essas lacunas ou espaços permitem que os pensamentos 
não se tornem repetitivos ou desprovidos de inspiração. 


 Esses espaços não precisam ser longos, 
alguns segundos já são suficientes, 
e o mais importante é a frequência diária.
e a música auxilia nessa conexão. 


 Tomar consciência da respiração 
faz com que a atenção se afaste do pensamento 
e isso produz um espaço. 

É uma maneira de gerar consciência! 

Tome consciência da sua respiração! 



Observe a sensação do ato de respirar. 

Sinta o movimento de entrada e saída do ar 
ocorrendo em seu corpo. 

Veja como o peito e o abdome se expandem 
e se contraem ligeiramente 
quando você inspira e expira. 


 Basta uma respiração consciente 
para produzir esse espaço ou lacuna, 
onde antes havia tão somente 
uma sucessão de ininterruptos pensamentos. 

 Uma respiração consciente 
(duas ou três seria ainda melhor) 
feita muitas vezes ao dia 
é uma maneira excelente 
de criar espaços em sua vida. 


 Mesmo que você medite sobre sua respiração 
por duas horas ou mais, 
o que é uma prática adotada por algumas pessoas, 
uma respiração basta para deixá-lo consciente. 


A respiração acontece por si mesma. 

Ela é produzida pela inteligência inerente ao corpo. 

Portanto, basta observá-la. 

Essa atividade não envolve nem tensão nem esforço. 


Além disso, note a breve suspensão do fôlego 
- sobretudo no ponto de parada no fim da expiração - 
antes de começar a inspirar de novo. 


 Muitas pessoas têm a respiração curta, 
o que não é natural. 

Quanto mais tomamos consciência da respiração, 
mais sua profundidade se estabelece sozinha. 

 Ao tomarmos consciência da respiração, 
nos vemos forçados 
a nos concentrar no momento presente, 
no aqui e agora! 

O resto são lembranças (passado) 
ou expectativas (futuro), 
ou seja, pensamentos: a mente no comando.


 Percebemos, 
imediatamente, 
após alguns segundos de prática 
que não conseguimos pensar 
e nos manter conscientes da respiração ao mesmo tempo. 

E esse é o segredo de toda a transformação interior.

Então, nos tornarmos conscientes da respiração 
é estarmos absolutamente no presente, 
pois a nossa atividade mental é suspensa.

O nosso ego cede espaço para
a manifestação do nosso Eu Interior. 



 A palavra alemã para respiração 
- atmen - 
tem origem no termo sânscrito atman, 
que significa o espírito divino que nos habita, 
ou o Deus interior. 



Então, vamos meditar?


Sente-se confortavelmente em uma poltrona.

Coloque o foco da sua atenção na respiração
(dessa maneira o Ego cede espaço para
a manifestação do seu Eu Interior).

Feche gentilmente os olhos.

Se quiser poderá escutar uma música.

Sinta o ar entrar e sair dos pulmões.



Respire... E deixe ir todos os pensamentos...

Aos poucos vá se acalmando...

E entrando em contato com a quietude interior.

Entrando em contato com o seu centro de paz...



Respire...

Se vierem pensamentos, questionamentos...

Não brigue com eles... Só deixe ir...


E cada vez mais, entre em contato através da respiração,
com o seu centro de paz interior,
e em perfeita e harmoniosa conexão
com a música que você mais aprecia.


Fácil?

Não, não é.

Mas, com a prática da meditação,
dia a dia, vamos melhorando cada vez mais.



Nota:

Os instrumentos musicais e seus efeitos:

Piano - para a depressão e a melancolia
Violino - para a sensação de insegurança
Flauta Doce - para nervosismo e ansiedade
Violoncelo - incentiva a introspecção e a sobriedade
Instrumentos de Sopro ( em geral ) - inspiram coragem e impulsividade.


Sugestão para a depressão e o medo:

* Sonho de Amor, de Liszt
* Serenata, de Schubert
* Guilherme Tell (Abertura), de Rossini
* Noturno Opus 48, de Chopin
* Chacona, de Bach


Sugestão para insônia, tensão e nervosismo:

* Canção da Primavera, de Mendelssohn
* Sonata ao Luar, de Beethoven (Primeiro Movimento)
* Valsa nº15 em Lá Bemol, de Brahmms
* Sonho de Amor, de Liszt
* Movimentos Musicais nº3, de Schubert


Sugestão para a gravidez e para facilitar o parto:

* Concerto para violino, Opus 87B, de Sibelius
* Sonata Opus 56, de Haydn
* As quatro Estações, de Vivaldi
* Concerto Tríplice, de Beethoven
* Concerto para violino, de Brahmms
* Concerto para violino, de Tchaikovsky


Sugestão para estimular a memória:

* Concerto em Dó Maior para bandolim, 
corda e clavicórdia, de Vivaldi
* Largo do Concerto em Dó maior para Clavicórdia, 
BMW 976, de Bach
* Spectrum Suíte, Confort Zone e Starbone Suíte, 
de Stephen Halpern


Sugestão para favorecer a interiorização e a meditação:

* Concerto nº2 para Piano, 
de Rachmaninov (último movimento)
* Concerto em Lá menor para piano, 
de Grieg (primeiro movimento)
* Concerto nº1 para piano, 
de Tchaikovsky (primeiro movimento)




Depois de ouvir as peças indicadas, 
escolha a que deu melhores resultados para você,
e escute-a diariamente, antes de dormir
ou antes e durante a meditação,
ou no período do dia mais conveniente
e harmonioso para você,
pelo período de tempo que
proporcione bem-estar e equilíbrio,
o que varia de pessoa para pessoa,
de poucos minutos até horas.

No início, os efeitos são leves. 

É preciso um pouco de paciência 
e persistência para notar progressos.



Boa música!


Musicoterapia para a alma!


Boa meditação!



Por Sandrah Belleza Novelli




Acesse também:



Meditação para curar Depressão








Meditação para acessar a
Sabedoria Inata do Corpo













TERAPEUTA DE FREQUÊNCIA VIBRACIONAL






 +55 (11) 96431-1500 Tim / WhatsApp 


 Estou à disposição para atender você! 

 Aguardo o seu contato. 

 Com carinho,
Sandrah